Seja bem vindo ao Mato e Cia. Aqui você encontrará materiais destinados ao curso de graduação em Engenharia Florestal e áreas afins. As fotos podem ser utilizadas, mas não se esqueça de mencionar o blog como fonte.







sábado, 26 de março de 2011

Seropédica Não quer o lixo dos outros.


         Logo na primeira semana que cheguei a Seropédica, tomei conhecimento de uma luta da Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro juntamente com a população local, contra a instalação de um aterro sanitário no quintal do campus centenário. Somente este fato bastaria para o protesto. Como a universidade que tem o título de a mais bela da América Latina abrigaria em suas redondezas um lixão?! Como se não bastasse, o local onde pretendem fazer as instalações trata-se nada mais nada menos do que o terceiro maior manancial de água do estado do Rio: O aqüífero Piranema.


                A Nova Gerar, empresa responsável pelo aterro, garante dispor de tecnologia para evitar vazamentos. Mas entidades de Seropédica prin cipalmente a UFRRJe a Embrapa Agrobiologia já se declararam contra o empreendimento. Estudos evidenciam que a área é inadequada por princípio. Em caso de acidente, não há como descontaminar o aquífero. É absurdo arriscar provocar danos num reservatório tão importante, que pode garantir o abastecimento da Região Metropolitana em caso de colapso do Sistema Guandu e certamente será importante no futuro.



          Como intuito de demonstrar a indignação quanto ao assunto, foi realizado no dia 22 de março de 2011 mais um protesto pacífico de mobilização contra a implantação do CTR- Centro de tratamento de Resíduos. Por horas a Antiga rodovia Rio São paulo, que corta o município de Seropédica foi interditado pelos manifestantes. Tive e oportunidade de participar deste movimento e destaco a organização, a mobilização e acima de tudo a responsabilidade dos organizadores deste ato. Parabenizo a todos que já se mobilizaram, e faço um apelo a todos, independentemente do local onde mora: Participe desta luta, venha ser mais um contra esse crime à humanidade.

sábado, 19 de março de 2011

Por que Engenharia Florestal?

 Fiz meu ensino médio todo me preparando para cursar Ciências Sociais na Universidade Federal de Juiz de Fora. Consegui. Fiz Minha Matricula. Mas eu também tinha feito o Enem. E neste exame escolhi um curso perto da minha cidade ( Paraíba do Sul ) e que eu tivesse alguma chance de passar;  Gestão Ambiental. Passei, e como na UFJF só começaria no segundo semestre, também me matriculei em na Rural em Três Rios para Gestão Ambiental  ( OBS: Não é permitido mais de uma matrícula em Instituição de Ensino Superior, mas corri o risco) .
Eu sabia que a Rural ( Em Seropédica) existia pois já havia passado em frente, mas acho que nem o nome da instituição eu sabia. Sobre a cidade de Seropédica, não tinha noção da existência... Garças a Gestão ambiental conheci o Site da UFRRJ, e dei uma conferida nos cursos. Um me Chamou atenção, um não Dois. A engenharia Florestal e a Engenharia Ambiental. O Motivo para essa atração foi a oportunidade de ter um bom emprego após formado, e o nome Engenharia me pesava aos ouvidos, um peso bom.

Eis que coloquei meu nome na lista de espera no Enem para a Engenharia Florestal ( a nota de corte para Eng. Ambiental era mais elevada). E não é que eu consegui uma vaga! De uma semana para outra minha vida deu uma reviravolta. Para falar verdade,  eu sabia quase nada sobre a Engenharia Florestal e nem entendia porque existir dois cursos tão “parecidos” ( é fui um dos muitos que se enganam com isso), Florestal e Ambiental. Então resolvi ir até Seropédica para me matricular ( pela terceira vez). Foi quando Conheci a Rural; acho que chamam isso amor a primeira vista. Como é aconchegante esta Universidade.
Pois bem, voltei para casa decidido. Cancelei minha matricula em Juiz de fora, e decidi que no segundo semestre de 2010 eu iria morar em Seropédica. Pesquisava cada vez mais sobre meu novo curso, e estava cada vez mais encantado. Aos Poucos, pela internet, fui conhecendo meus novos colegas. Arranjamos até uma casa lá, ( uma Casinha) e montamos uma república... e Foram longos meses de espera até chegar o dia da Aula Inaugural.
Caramba, como eu não tinha pensado em ser Engenheiro Florestal antes? Eu lembro que eu pouco me importava com o curso que eu iria fazer, eu queria era passar.E já tinha conseguido nota desde o 2º ano do Ensino Médio para Ciências Sociais, estava tranqüilo e decidido. Mas andei refletindo, e realmente nada acontece por acaso.
Desde criança eu sempre gostei de andar com o pé no chão. Sentir a terra nos meus pés sabe? Minhas brincadeiras eram de bastante contato com o meio ambiente. Gostava de me sujar de barro e subir em árvores. Ficava alegre quando nos finais de semana ia para casa da minha avó, na área rural. Jogava bola no campo, andava no meio do mato e de vez em quando tomava banho de cachoeira.
Ah se eu visse alguém jogando lixo no chão, comprava briga. Também me lembro quando eu resolvi que não ia mais jogar fora meus cadernos de escola, eu ia reciclar.  Picava  todo aquele papel, molhava e colocava em uma tela. ( nem sempre dava certo). Depois ficava pintando o papel que eu “tinha feito”. Se visse um pedaço de madeira novo no quintal de casa, rapidamente achava um destino para ele. Serrava, pregava, colava, pintava e logo estava com um brinquedo novo na mão.
Já mais velho quando era presidente de grêmio na escola, fazia projetos com a professora de artes para colher e reciclar papel. E aquilo dava certo, toda escola estava participando. Tive também a idéia de montar uma  Ong, em defesa do meio ambiente, mas essa idea ficou só no papel. Os estudos estavam mais acirrados, tinha assumidos outros compromissos,e a burocracia para criar uma Ong não era nada fácil.
E quando me perguntam porque resolvi fazer Engenharia Florestal me vem todos esses momento à cabeça. Não da para ficar explicando isso tudo né. E também eu não resolvi fazer Engenharia Florestal. Foi uma situação meio estranha, parece que o curso pulou na minha frente e me deu um abraço que esta durando até hoje.
Ser Engenheiro Florestal é reconhecer a importância da natureza para a vida e acima de tudo respeitá-la. Afinal é ela que nos oferece os recursos vitais. È dela que os florestais tiram seu sustento. Já está tudo pronto ali, temos que entender o mecanismo e interferir beneficamente para tirar um melhor proveito com o menor impacto possível.
             Uma coisa temos que ter em mente, o impacto sempre exixtirá. Não quer que tenha impactos? Então não exista. Essa é a realidade. Para sobreviver precisamos de um abrigo, de água, de fogo, de comida, de agasalhos, enfim da natureza. O papel do Engenheiro Florestal é minimizar os impactos e aproveitar ao máximo os recursos que a floresta nos oferece.
              Bem, esta é apenas a visão de um calouro, agora do 6º período. Ainda há muito para aprender, muito mesmo. Mas desejo que este espírito de realização, seja mantido ao longo do curso ou até mesmo quem sabe, ao longo da Vida.

terça-feira, 1 de março de 2011

Campanha Da Fraternidade 2011

                      A Campanha da Fraternidade é uma campanha realizada anualmente pela Igreja Católica no Brasil, no período da Quaresma. O objetivo é despertar a solidariedade dos fiéis e da sociedade em geral em relação a um problema concreto que envolve a sociedade brasileira, buscando caminhos de solução. A cada ano é escolhido um tema, que define a realidade concreta a ser transformada, e um lema, que explicita em que direção se busca a transformação. A campanha é coordenada pela Conferência Nacional Dos Bispos Brasileiros.
 Mas o que isso tem a ver com a Engenharia Florestal?
                    Bem, eu estava começando os ensaios da minha banda na Igreja, quando deparei com o Hino da campanha de 2011. Percebi o quão era relacionado ao meu curso, a Engenharia Florestal. O tema ," Fraternidade e a Vida no Planeta", e o lema, " A Criação Geme Como em Dores de Parto" , vem tratar da questão Ambiental e chamar nossa atenção para os estragos que estamos causando.



         Na condição de estudante de Engenharia Florestal, me vejo na obrigação  de divulgar e principalmente agir em prol da campanha. 2011 é um ano especial para nossa classe, é o Ano Internacional Das Florestas e a Campanha da Fraternidade vem dar as mãos a esse movimento global por um mundo mais verde. O Engenheiro Florestal, que vive as custas dos recursos florestais, deve zelar sempre pela Vida Sustentável no Planeta, essa é uma boa oportunidade...

Hino da CF 2011